terça-feira, 20 de janeiro de 2015

#ProjetoSummer2016

Ah, 2015. Ano novo, vida nova. Sim, vida nova! Porque esse ano eu decidi que será o meu ano. Entrei para academia e, ah, adotei uma gatinha que minha mãe salvou. E posso dizer que comecei muito bem. Mas não estou aqui, agora, para falar da Luna, minha gata, e sim da academia.

Meu primeiro dia, 12 de janeiro, foi o treino inicial. Puxado demais! Fiz 25 minutos de esteira para aquecer e depois fui para os aparelhos e até me dei bem, o meu maior inimigo foi o calor excessivo em São Paulo. No dia seguinte, esteira e bike e, meu Odin, eu não sentia mais minhas pernas depois, só que ainda assim fui para a academia no dia seguinte e fiquei tão mais tranquila. E então chegou a quinta-feira. Aula de Aeróbica. O resultado foi catastrófico. Nem conseguia levantar direito na sexta-feira para trabalhar e no sábado ainda estava doendo.
Passei o fim de semana longe da academia e então chegou a segunda-feira novamente e eu não iria mais para a academia pela manhã, por conta do calor. Professor diferente, incentivo diferente. O Vini disse que eu era guerreira só de subir as escadas da academia ─ sim, porque é muita força de vontade para aquilo. E hoje, quando cheguei e me pesei, estava lá meu primeiro resultado.
No dia 12 eu estava com 92,75kg e para quem tem singelos 1,56m de altura, isso é princípio de obesidade. Eu não queria, e não quero, chegar ao estágio de obesidade com risco de diabetes, hipertensão e, pior, um AVC. Hoje, dia 20 de janeiro de 2015, estava com 90,70kg. Menos 2,05kg de uma semana para a outra. Não deixei de comer para alcançar esse resultado, muito pelo contrário. Comecei, além da academia, a reeducar minha alimentação e meu apetite. Menos arroz e feijão, mais verduras, legumes. Frutas. Comer nas horas certas também ajudou bastante, mas sempre uma fruta!

Depois de um treino puxado, minha recompensa!
Não vou negar e dizer que não tenho preguiça, porque trabalho longe da minha casa ─ mais de uma hora e meia de condução para ir e depois o mesmo tanto para voltar ─ e não fico direito com a minha mãe, meu pai, meus animais, sem a TV ou o notebook. Tenho muita preguiça. Mas então eu lembro que já paguei 178 reais esse mês para frequentar a academia e que esse dinheiro não vai voltar, mas os dois quilos, e mais uns amiguinhos, voltarão com toda força.
Eu quero poder subir uma escada sem cansar, subir a ladeira para ir à Igreja sem ficar morrendo. Quero entrar em uma loja e encontrar uma roupa legal e que caia bem em mim. Quero usar saias e vestidos sem parecer um botijão de gás. Para ser bem sincera, quero me amar ainda mais.
Não estou fazendo academia por pura estética, mas pela minha saúde em primeiro lugar. E se você, leitora, está pensando em ir para a academia, mas está com preguiça, levanta dessa cadeira e vai caminhar, vai fazer sua matrícula na academia e vai ser feliz! Porque, infelizmente, ser feliz fora do peso ideal para a sua saúde é muito difícil.

Nenhum comentário:

Postar um comentário